sábado, 8 de outubro de 2011

Poema Dos Olhos Da Amada - Vinicius de Moraes

Oh, minha amada
Que os olhos teus

São cais noturnos
Cheios de adeus
São docas mansas
Trilhando luzes
Que brilham longe
Longe nos breus

Oh, minha amada
Que olhos os teus

Quanto mistério
Nos olhos teus
Quantos saveiros
Quantos navios
Quantos naufrágios
Nos olhos teus

Oh, minha amada
Que olhos os teus

Se Deus houvera
Fizera-os Deus
Pois não os fizera
Quem não soubera
Que há muitas eras
Nos olhos teus

Ah, minha amada
De olhos ateus

Cria a esperança
Nos olhos meus
De verem um dia
O olhar mendigo
Da poesia
Nos olhos teus

Obtido de http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/86575/


Vinicius de Moraes dispensa apresentações. Nosso diplomata, poeta, músico e até cantor. Na verdade um encantador. Qual mulher restiria à sua prosa, versos galantes, sutis, amantes?
Estava procurando algo dele para postar no Cargueiro e me deparei com esse lindo poema que, para falar dos olhos da amada, remete ao cais, docas, navios, naufrágios, portanto à temática do blog, que fica assim mais leve, com os versos do poetinha.
Olhos da amada são o lume que indicam o caminho a seguir no escuro da noite, no breu dos mares, no sobe e desce dos humores, no vai e vem dos amores. A luz desse olhar, desfaz o mistério e lança esperança aos apaixonados. Os versos de Vinicius embalam nossos corações.
Por
F@bio