terça-feira, 2 de março de 2010

Cais do porto - Capiba

"Cais do porto,
Eu estou sempre aqui
Seja noite estrelada ou não
Cais do porto,
Quero ver se encontro meu bem
Que daqui certo dia partiu
Não sei se sozinho ou com mais alguém
Cais do porto,
Tenha pena de mim
Já é dia, nem vestígio sequer
Não será, cais do porto, aquela luzinha?
Que lá longe apaga e acende
Fazendo um sinal, quem sabe, pra mim."


Letra obtida do site www.muitamusicacom.br e foto da contra-capa do disco "Viva Capiba" disponível no site http://www.guiapernambuco.com.br/persona/capiba.shtml


Capiba ou Lourenço da Fonseca Barbosa, um grande compositor pernambucando, muita musica, muitos frevos para alegrar nossas vidas, encantar nossos corações e carnavais!
O cais é frequentemente cantado em versos: saudade, um amor que se foi, um barco que partiu, a luz tênue, cascos e bandeiras, estivadores, marujos, malandros, prostitutas.
O cais, o porto, seguro? 
Docas escuras, sujas, guindastes, pó, poeira, fuligem. 
Lugar sinistro, noir, falcão maltês, vapor e vapores, fumo, fumaça...
Ponto de saída e de chegada, 
Âncora de vidas par-tidas!
por F@bio